Não conhecia o Letters of Note, preciso dizer — foi deles que tirei o post abaixo, a citação de Gary Provost.

Ainda, acho idealista a mensagem deles — a preservação de um formato de texto (acima de tudo, a carta não é um meio a algo, é um formato de texto. O que também me faz pensar que a carta hoje em dia tenha perdido sua forma de conseguir sobreviver. Pelo menos somente suas características primordiais conseguiram sobreviver ou se tornaram outros tipos de mensagens na internet: a demarcação exata de um lugar no espaço-tempo e algum tipo de saudação. Mas já passamos da era de correspondências que lembram a melhor Literatura, a que revela personalidades de formas nunca antes vistas.

Tina Fey é um exemplo desta decadência.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s