Isso é real

Um formato de e-mail consegue se tornar literatura nas mãos dos melhores.

Anúncios

O pop não precisa de salvação

Num começo de ano em que Justin Timberlake e Taylor Swift¹ se esqueceram de como se cria uma obra audiovisual que se concatena com uma canção específica (nominalmente, um videoclipe), “My My My!” é uma dádiva.

¹ Talvez eu desenvolva a paciência necessária para falar do clipe de “End Game“. Quem sabe.

K. Leimer | “Dunne Luft”

K. Leimer tem disco novo, Mitteltöner, a ser lançado ainda este mês. Para alguém que construi uma carreira inteira desbravando as fronteiras da música ambiente (essa compilação aqui é prova do que falo), parece uma aposta segura. Mesmo assim, isso é pedir demais no primeiro dia do ano.

É o suficiente. Suficientemente belo.

O primeiro post de 2018 é sobre música

O pessoal do The Singles Jukebox pode ter condensado algumas das opiniões mais incríveis sobre esta canção — se for ler alguma, leia a de Jonathan Bradley –, a minúscula obra-prima que fecha Reputation. Entretanto, eu gostaria de adicionar – além do que fiz na minha blurb – que Taylor Swift gosta de criar mitos. Ninguém, pelo menos na música realmente popular americana atual, tem essa capacidade de solidificar momentos e histórias. Parece que ela passou a carreira inteira aperfeiçoando um método de composição e criação somente para escrever “New Year’s Day”.

E eis, então, para um ano novo tão melancólico quanto esperançoso.

Feliz 2018.